Pela 1ª vez, SP pode tornar Lei prevenir morte violenta de adolescentes

A deputada estadual Marina Helou protocolou o Projeto de Lei 382/2022 que busca prevenir a morte letal de crianças e adolescentes no estado de São Paulo. Até hoje, o estado não conta com uma política pública com esse objetivo.


“Desde o início, meu mandato tem incidido para garantir que as vidas de crianças e adolescentes sejam protegidas, uma medida preciosa para a construção de uma sociedade melhor”.

Marina Helou tem a infância e adolescência como prioridade do seu mandato. (Foto: Assessoria)


Marina Helou também é presidente do Comitê Paulista pela Prevenção de Homicídios na Adolescência (CPPHA), um trabalho entre a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), Unicef e Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Justiça, com participação da sociedade civil.


Recentemente, o Comitê divulgou o relatório inédito sobre as mortes violentas de crianças e adolescentes no estado de São Paulo, do período de 2015 a 2021. Um dos resultados mais impressionantes é que desde 2018, quando foi criado o CPPHA, o homicídio de adolescentes reduziu 35% no estado.

Marina Helou no evento de lançamento do relatório inédito do CPPHA. (Foto: Assessoria)


“É um avanço e seguiremos lutando pelo fim dos homicídios. Acredito que a coordenação e participação do estado, da sociedade civil e das instituições de justiça é fundamental para o sucesso dos programas de prevenção à violência fatal”.