Emendas 2022 - Votacao - Header Wix.png

Fatores de Risco Escolares para as Mortes Violentas de Jovens por Armas de Fogo no Estado de São Paulo

Ribeirão Preto

Faculdade de Economia Administração e Cona

Resumo

a)Problema a ser solucionado
No Estado de São Paulo, a ocorrência de mortes violentas intencionais é relevante entre adolescentes e jovens. Por exemplo, dados do CPPHA (2021) indicam que a taxa de Crimes violentos Letais Intencionais (CVLI) na faixa de 15 a 19 anos em 2020 era de 7,16/100 mil, bem próxima a que é verificada para a população acima de 30 anos de idade, sendo que a taxa de mortes por intervenção policial na faixa etária entre 15 e 19 anos é maior do que em qualquer outra faixa etária. Neste sentido, o projeto tem por objetivo levantar informações de qualidade para subsidiar o desenho de políticas que reduzam as mortes dos adolescentes e jovens do Estado de São Paulo.
b)Ações propostas
A proposta envolve a realização de um levantamento de dados e informações que vão permitir entender de que modo as diferentes trajetórias escolares dos adolescentes em São Paulo podem aumentar o risco destes adolescentes serem vítimas de mortes violentas intencionais (homicídio, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e morte decorrente de intervenção policial).
Mais especificamente, vamos buscar compreender qual o papel que os indicadores de fluxo escolar (repetência, evasão escolar) e de aprendizagem tem nesse risco de morte. Por exemplo, considerar que a reprovação em diferentes séries pode gerar aumento do risco de morte violenta. Também vamos compreender se a troca de escolas (ou de redes) entre os anos iniciais e fundamentais do ensino fundamental afetam esta relação e se o fato de a criança ter entrado mais cedo na escola (creche/pré-escola) reduz esta probabilidade de morte violenta.
c)Metodologia escolhida para atuação
Trata-se de uma proposta de realização de pesquisa com dados administrativos, utilizando técnicas de estatística adequadas para a realização deste tipo de análise, com a elaboração de um relatório contendo os resultados das análises realizadas e recomendações de políticas públicas
d)Tempo Previsto
O projeto tem duração estimada de 12 meses
e) Resultados Esperados
Com este projeto, esperamos ter uma compreensão mais clara de como os fatores escolares afetam a exposição dos jovens aos crimes violentos, possibilitando que possam ser construídas estratégias de prevenção precoce em âmbito escolar para o envolvimento dos jovens e adolescentes como vítimas de mortes violentas. Será elaborado um relatório de pesquisa que será disponibilizado ao público e será feita uma apresentação dos resultados do relatório em evento público, para o qual serão convidados os diversos atores que trabalham com a juventude e educação, bem como o público em geral.

Experiência

A Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FEA-RP/USP) tem longa tradição na realização de estudos quantitativos em diversas áreas da política social. Dentre as atividades realizadas, destaca-se a área de violência e criminalidade, na qual utilizamos bases de microdados para conseguir compreender a relação entre acontecimentos na vida das crianças e adolescentes, especialmente na época em que ainda estão na escola e a probabilidade delas serrem vítimas de morte violenta a partir dos 15 anos de idade. O Laboratório de Estudos e Pesquisas em Economia Social (LEPES) vem atuando há 10 anos na realização de pesquisas que procuram tanto compreender o fenômeno da violência e suas implicações, por meio de coleta de dados primários e integração de bases de dados que permitem entender melhor tanto as causas da violência e da criminalidade, como políticas públicas que possam ser efetivas para combater esse grave problema.

Público Alvo

O público-alvo da pesquisa são adolescentes e jovens de 15 a 19 anos residentes no Estado de São Paulo e que estão sob o risco de serem vítimas de morte violenta.