Emendas 2022 - Votacao - Header Wix.png

Programa Horta Urbana Jundiaí – Agrofloresta

Jundiaí

Unidade Planejamento e Urbanismo

Resumo

A iniciativa visa recuperar APP envolver a participação da comunidade no plantio e na manutenção das hortas comunitárias e urbanas e, sobretudo, a promoção da cidadania e engajamento dos moradores na melhoria do local onde vivem, além de ofertar uma possibilidade de geração de renda, principalmente neste momento de pandemia.
Recuperar áreas de APP degradadas com os seguintes objetivos:
•Recuperação de APP de curso d’água em área urbana
•Conter a erosão da calha do curso d´agua tanto com a revegetação como com soluções de bioengenharia aplicáveis.
•Promover apropriação do espaço público pelos moradores para o sucesso da manutenção da vegetação e evitando descartes de lixo e queimadas.
•Melhorar a qualidade ambiental e paisagística dos espaços públicos;
•Fortalecer a segurança alimentar da população, ampliando as áreas produtivas na cidade.
•Promover o fortalecimento da comunidade através da realização de projeto de benefício mútuo, troca de alimentos e convivência.
•Capacitar a população para o manejo sustentável do solo, livre de agrotóxicos, para produção de alimentos saudáveis e ricos em nutrientes e para manutenção da fertilidade do solo de forma natural.
•Contribuir para a educação ambiental e nutricional da população, tornando crianças e adolescentes agentes de transformação para um mundo sustentável.

Metodologia
FASE 1
O primeiro passo é a formação de uma equipe multidisciplinar e multi intersetorial. Tendo como objetivo a descrição do meio físico, biótico e socioeconômico da área, em um nível de detalhamento que possibilite a planificação de uma ou mais alternativas agroflorestais mais apropriada à realidade local.
Etapas desta fase:
- Definição do nível caracterização
- Identificação e delimitação da área de estudo.
- Definição dos fatores a serem estudados.
- Levantamento bibliográfico – realizar uma ampla revisão bibliográfica sobre as informações disponíveis.
FASE 2
Coleta de informações no campo por entrevistas dos moradores em torno da APP.
FASE 3
Estudo do solo
Estudo socioeconômico dos moradores em torno da APP.
FASE 4
PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO
- Identificação das necessidades básicas dos produtores – onde o modelo e componentes devem ser adaptados às condições socioculturais e às necessidades básicas de alimentação e nutrição das famílias;
- Definir espécies prioritárias;
- Definição de arranjos;
- Definição do nível tecnológico
FASE 5
Implantação, manejo e monitoramento.
- Capacitação- é fundamental para o sucesso do SAF. Produtores devem estar preparados para a fase de implantação e monitoramento do SAF;
- Implantação e manejo do modelo de SAF;
- Aquisição de mudas;
- Preparo da área;
- Plantio;
-Tratos culturais – recomendados para o cultivo (capina, adubação de cobertura, roçagem, desbate, desbrota, poda, combate a pragas e doenças, entre outros);
- Colheita, beneficiamento e armazenamento.
- Comercialização e
- Monitoramento do Sistema.
A metodologia proposta determina um planejamento criterioso nas opções de espécies a ser incluídas no SAF, considera as potencialidades de êxito do empreendimento, adotando critérios de produtividade e sustentabilidade do sistema proposto, evitando o desperdício de recursos.

Resultados Esperados:
-Diminuir número de famílias em insegurança alimentar envolvidas no Projeto
-Recuperar as áreas APP e curso d água nas áreas urbanas
-Integração futura da área pública qualificada e recuperada como espaço comunitário para trilha na área de agroflorestal

A Agrofloresta tem grande potencial para contribuir para os aspectos socioeconômicos. Os autores estudiosos do tema destacam que o crescimento acelerado das cidades, em geral, é caracterizado pela urbanização rápida e não planejada, invadindo e degradando áreas florestais circunvizinhas e, que, portanto, as Agrofloresta podem ser entendidas como uma abordagem para lidar com esse processo, contribuindo para enfrentar desafios ambientais (fornecendo serviços ecossistêmicos), econômicos (pela geração de renda e empregos) e sociais (pelo contato mais próximo com a fonte de alimentos)

Experiência

A Prefeitura de Jundiaí, por meio da Unidade de Gestão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente (UGPUMA), lançou o programa Horta Urbana no dia 02 de junho de 2021, com o Decreto 30.050, que disponibiliza áreas públicas ociosas para os munícipes que queiram cultivá-las.
O programa oferece alternativas para promover a segurança alimentar dos munícipes e uma fonte de renda alternativa para a população, estimular a economia solidária e as práticas comunitárias em espaços públicos, principalmente após Pandemia Covid19 e ainda estimular o contato de crianças e adolescentes com a natureza. Além disso, as hortas também contribuem com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.
Agora, iremos incluir no Programa áreas urbanas destinadas a desenvolvimento de Agrofloresta. É um sistema produtivo que concilia a produção de alimentos com a recuperação de áreas degradadas, incluindo áreas de preservação permanentes, promovendo benefícios econômicos, sociais e ecológicos.

Público Alvo

Público – Alvo: munícipes de Jundiaí, nesta etapa moradores da região Oeste do Município. Em Área de APP de curso d’água que compõe um corredor ecológico do bairro.
Nesta área vamos atingir diretamente 68 famílias (produtores) que residem - ao lado desta APP, como também melhorar a qualidade ambiental e paisagística dos espaços públicos. População do bairro Novo Horizonte.