Emendas 2022 - Votacao - Header Wix.png

Entre a Casa e a Escola EMEB Luiz Bárbaro

Jundiaí

Ugpuma

Resumo

O Programa Entre a Casa e a Escola possui como objetivo principal a qualificação do percurso da criança até a escola, garantindo que o trajeto prioritário definido seja Inclusivo, Acessível, Verde e Livre, Seguro e Lúdico à criança e seus cuidadores, promovendo um Bairro Amigável à Primeira Infância (BAPIs). É previsto etapas de desenvolvimento: Diagnóstico, Escuta do público-alvo, proposição de ações e intervenções, fase teste de intervenção (Urbanismo tático), coleta de dados e por fim a intervenção permanente.
O Projeto da Emeb Luiz Bárbaro, está pausado na etapa ‘proposição de ações e intervenções’ e a presente proposta prevê a intervenção temporária, para que se possa testar as alterações, coletar os dados e validar os estudos para que só após seja realizada a intervenção permanente. Essa técnica é conhecida como Urbanismo Tático e frequentemente é realizada de maneira coletiva com a população beneficiada, trazendo pertencimento do espaço e promovendo a segurança física e apropriação através de baixo investimento.

Conheça mais sobre o Projeto Entre a casa e a escola EMEB Luiz Bárbaro: https://docs.google.com/presentation/d/1mUm2v4RpRsD0hIYSGKtsy-LIwj_Fv8Hkp4mt3p0ICPo/edit?usp=sharing

Experiência

A Prefeitura de Jundiaí, cidade do interior paulista, tem se dedicado a pensar o futuro do município de forma inovadora e estratégica, priorizando ações, políticas e projetos voltados à primeira infância.
Desde a implementação da Política Municipal da Criança, em 2017, a cidade estabeleceu a orientação de seu planejamento com foco no desenvolvimento saudável e seguro dos pequenos cidadãos, favorecendo o acesso e ocupação de espaços públicos seguros, que promovam a mobilidade, o contato com a natureza e a interatividade.

Ainda no mesmo ano, sete cidades da região assinaram a carta de intenções do Programa São Paulo pela Primeiríssima Infância, uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo em parceria com a Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal pela promoção do desenvolvimento integral das crianças, do nascimento aos três anos.

Em 2018, Jundiaí foi a primeira cidade do Estado de São Paulo e a segunda no país a integrar a Rede Latino Americana Cidade das Crianças, assumindo o compromisso de viabilizar ações em torno da participação das crianças e suas perspectivas.

Mas o caminho trilhado pela cidade no tema começou alguns anos antes. Desde 2012 a Prefeitura promove a Semana do Bebê, evento anual que organiza atividades para conscientizar a comunidade sobre a importância do desenvolvimento infantil e a difusão de práticas adequadas.

Equipamentos públicos de saúde (unidades básicas e de saúde da família), educação (creches) e assistência social (Cras) são mobilizados em diversos bairros da cidade, com uma programação que inclui contação de histórias, cinema infantil, oficinas de shantala, orientações de saúde bucal, oficinas nutricionais, palestras, oficinas de confecção de brinquedos, roda de música, teatro, entre outras.
O Plano Diretor aprovado em 2019 dedica um capítulo inteiro às crianças, se estabelecendo como um instrumento fundamental para garantir a continuidade desse olhar estratégico ao longo do tempo e consolidando um trabalho integrado.

Para aprimorar a formulação de políticas públicas para a infância a cidade assistiu à criação de um Grupo de Trabalho intersetorial, que por sua vez acompanhou a criação do projeto Rotas Seguras e Ruas Temporárias para o Brincar, ambos direcionados à melhora da circulação de crianças entre os equipamentos públicos disponíveis no território.

Algumas das ações e programas de Jundiaí, focados ao tema:
Comitê das Crianças
Diretrizes sobre o tema da primeira infância foram incorporadas em diversas áreas da administração, como uma proposta transversal para a gestão da cidade. Assim, o olhar para as crianças pequenas superou intervenções urbanísticas e de infraestrutura para alcançar uma forma inovadora de pensar a ocupação e acesso à cidade.
A criação de um Conselho de Crianças para consulta às crianças sobre algumas ações do município voltado a esse público trouxe o incremento da participação social, tão importante para garantir a longevidade dos projetos. O Comitê é composto por 24 crianças (12 meninos e 12 meninas).
Caminhos lúdicos para brincar
O “Ruas de Brincar” é uma iniciativa integrada ao programa “Cidade das Crianças” que busca incentivar junto às crianças e adultos o resgate às brincadeiras, inclusive em eventos do calendário municipal, como o Domingo no Parque e a Corrida das Crianças.
A Prefeitura disponibiliza cavaletes estilizados, com desenhos do artista italiano Frato e com a frase “Perdoem o transtorno. Estamos brincando por vocês”, que indicam o espaço da Rua de Brincar. Quem gerencia o fechamento das ruas são os próprios moradores do bairro, incentivando a participação da comunidade.
A partir da experiência da cidade com a Rede Brasileira Urban 95, o projeto Pé de Infância realiza intervenções lúdicas em espaços públicos da cidade, praças, pontos de ônibus e outros.
As pinturas têm como objetivo incentivar a brincadeira de rua, contação de histórias, resgate às memórias e canções infantis. O próprio nome da campanha é um trocadilho com a ideia de que um ambiente saudável, que promova a brincadeira e o aprendizado lúdico, será o mais fértil para que as crianças cresçam e floresçam como as plantas.
Mundo das Crianças Jundiaí
Espaço inovador, estimula o contato e a interação com a natureza, o brincar e a experiência, por meio de estações de brinquedos, paredes de escalada, quadras esportivas, pista de skate, áreas verdes para lazer, cultura e aprendizagem, fontes interativas e trilhas.
Administrado pela DAE Jundiaí, o Mundo das Crianças Jundiaí é a extensão da área de preservação da represa que abastece a cidade. Inaugurado em 2021 com 170 mil m2 de área para brincadeira, diversão, aprendizagem e interação com a natureza, chegará a um total de 500 mil m2.
A preservação ambiental é um dos maiores intuitos do projeto, que concretiza diversas propostas sobre a infância que o município vem desenvolvendo em relação ao ambiente urbano e o planejamento de políticas públicas.
Com extensa área verde, o local conta com diversidade na fauna e flora e mais de 13 mil árvores plantadas. Aproxima os pequenos dos elementos naturais e essenciais para seu desenvolvimento integral e o despertar da consciência ecológica. Além de muito educativo, o contato com a água, com a terra e com a natureza desenvolve a imaginação, criatividade e o movimento.
Além disso, todas as áreas são nominadas com referências à Serra do Japi, para aproximar as crianças e demais frequentadores da biodiversidade presente na reserva natural da região.

Entre a Casa e a Escola
‘Entre a Casa e a Escola’ propõe uma qualificação do caminho dos alunos da rede pública para suas escolas. O projeto piloto foi feito na EMEB Deodato Janski, onde estudam cerca de 500 alunos e 70% vão para a escola caminhando. Para compor o diagnóstico, além das vistorias dos técnicos em conjunto com os moradores do bairro, foi iniciado um processo de escuta das crianças para saber o que elas acham do seu caminho para a escola e como gostariam que ele fosse.
O primeiro resultado do projeto foi a remodelação da praça em frente à escola, inaugurada em dezembro de 2017. A área recebeu remodelação paisagística, recuperação da iluminação e do passeio, arquibancada para assento e pintura de lousa na parede, para servir como extensão do ambiente educacional das escolas municipais que ficam nas proximidades. Artistas do bairro também contribuíram com intervenções de grafite no local.


https://urban95.org.br/blog/jundiai-uma-cidade-para-as-criancas/

Público Alvo

A EMEB Luis Bárbaro atende crianças em Educação Básica de 3 até 6 anos, dos Bairros Vila Nambi, Ponte São João, Centro, São Camilo, Jardim Pacaembu e Tamoio. Essa comunidade imediata corresponde à 7,3% do município de Jundiaí.

Segundo os dados do Atlas Brasil 2013 - Censo 2010, a região citada consta com uma População da Primeira Infância (0-6 anos) com mais de 600 crianças. A Renda Média dos Setores Censitários correspondentes (2010) corresponde as faixas de até R$510, R$510 - 755, R$755 - 1020.
A região imediata bem como o trajeto prioritário definido possuem diversas questões que excluem a criança e seus cuidadores do direito à cidade. Como ausência de segurança viária já que a maioria dos alunos vão para a escola de Transporte Escolar, Carro e a pé e o entornopossui um histórico de sinistros de trânsito considerável, envolvendo os meios de transporte mais frequentes dos alunos. (https://jr.jor.br/2018/03/08/van-e-onibus-escolar-batem-na-ponte-sao-joao/)
Além da carência de espaços públicos de uso livre e lúdico no trajeto, não acolhendo a criança e seus cuidadores na dinâmica urbana.
O trajeto não é inclusivo e acessível. Na escuta realizada com os alunos da Emeb, a demanda por elementos verdes no percurso é alta. Essas são premissas para que se promova um Bairro Amigável à Primeira Infência (BAPI - Bernard Van Leer): Inclusivo, Acessível, Verde e Livre, Seguro e Lúdico.