Emendas 2022 - Votacao - Header Wix.png

CEJAI (Centro de Ensino Supletivo de Itanhaém)

Itanhaém

Secretaria de Educação de Itanhaém

Resumo

O Centro de Educação de Jovens e Adultos de Itanhaém (CEJAI) O CEJAI evidenciou vários valores cujo objetivo principal é fazer com que nossos alunos retornem. Um ensino flexível com atendimento individualizado combinado as novas tecnologias, oportunidades para que as crianças acompanhem os pais na escola, parcerias entre os poderes com empresas que estão ou chegarão ao município, currículo empreendedor, além de cumprir a função equalizadora de proporcionar aos trabalhadores e a tantos outros segmentos sociais como donas de casa, aposentados, desempregados, encarcerados, a reentrada no sistema educacional. Possibilitando, às pessoas que tiveram uma interrupção forçada na sua trajetória escolar ou aquelas que não tiveram acesso na idade correspondente, seja pela repetência ou pela evasão, seja pelas desiguais oportunidades de permanência ou outras condições adversas, uma nova oportunidade de inserção: no mundo do trabalho, na vida social, na sua vida financeira empreendendo o pouco que recebem até mesmo nas necessidades primárias. Assim, ampliar as oportunidades educacionais para jovens e adultos, através de um sistema de ensino flexível, onde estarão construindo sua identidade como cidadãos em processo, capazes de protagonizar ações responsáveis, solidárias e autônomas em relação a si próprios, à suas famílias e à comunidade. Contudo, atender aqueles de acordo com as suas necessidades adequadas a BNCC, pensando em todas as possibilidades para termos esses alunos de volta à escola.

Experiência

A cada ano observamos uma estima baixa dos alunos que estão matriculados Ensino Regular e principalmente na Educação de Jovens e Adultos o que consequentemente leva a uma grande evasão. Esta evasão vem acontecendo há alguns anos mais especificamente no período noturno e se agravando principalmente na atual situação de pandemia relacionada à COVID-19.
Construímos uma análise do processo educacional da EJA em nosso município ao longo de alguns anos. Observamos que a cada ano menos estudantes procuram as modalidades de ensino com a finalidade de terminar seus estudos. Muitos projetos foram desenvolvidos ao longo dos anos que envolvesse a participação de todos. Conseguimos garantir esta participação, mas a evasão continua em evidência. Muitas salas vazias que nos preocupam muito e o nosso interesse é incentivar, ter os alunos de volta, salas cheias, com qualidade. Esta observação vem me corroendo a muitos anos o que me faz pensar em algo que realmente interessa nossos alunos. Espaços adequados, professores realmente engajados a traçarem planos estratégicos para atender o que os estudantes precisam. Nós professores não podemos ver a Educação de Jovens e Adultos como um complemento do trabalho e sim como uma pontual necessidade de fazer com que os alunos aprendam e exerçam esta aprendizagem no seu dia a dia. Nosso aluno sabe o que ele quer. Quantos já me disseram que gostaria de aprender a ler para poder acompanhar seus cultos religiosos através da Bíblia. Este é um exemplo básico, O aluno, seja ele jovem ou Adulto vai à escola porque querem aprender. Aprender a ler, aprender a escrever, a usar seu dinheiro nas compras, saber conferir seus trocos, empreender no sentido amplo, usar um caixa eletrônico, saber enviar uma mensagem de texto do seu próprio aparelho celular, fazer uso da tecnologia. Nossos alunos carecem de aprender lidar com tecnologias. Nós quando estudamos didática em tempos passados nunca imaginaríamos que a tecnologia faria parte da nossa aprendizagem.
Era evidente a necessidade de remodelar o EJA no município de Itanhaém. As buscas ativas, as pesquisas realizadas, demonstraram claramente onde pode estar o problema e as possíveis soluções. Um exemplo claro do que encontramos numa dessas pesquisas, realizada em diferentes bairros da cidade com cerca de 300 pessoas concluímos que 62% dessas pessoas não frequentam a escola por não terem com quem deixar seus filhos menores. Sendo um casal, o homem ou a mulher tem que optar pelo estudo. Pensamos numa forma de atender essa grande parcela criamos a ideia de oferecer reforço escolar para os seus filhos enquanto estudam, tiram suas dúvidas, participam das atividades propostas sem o receio de não ter com quem deixar seus filhos. Criar espaços dentro do Centro de Ensino que contemplem uma pequena biblioteca equipada para o público infantil com livros paradidáticos, e equipamentos que favoreçam o aperfeiçoamento das tecnologias complementares ao que eles tenham nas escolas de Ensino Regular. Uma brinquedoteca também é muito importante para estimular o desenvolvimento infantil com acompanhamento de pessoas especializadas. Os pais se sentem confiantes quando os filhos estão próximos. Entre muitos outros valores que incentivem o retorno dos alunos aos estudos.
Faz-se necessário os recursos financeiros contemplar nossos propósitos para garantir Educação aos nossos alunos. Infelizmente não temos como arcar com tudo se não irmos além da esfera municipal. Ideias boas devem ser compartilhadas e na prática vivenciaremos uma parte da nossa proposta.
A articulação política diretamente ligada a esses propósitos ou indiretamente nas salas de aulas entre alunos e professores mostram que discussões polarizadas afetam os argumentos para possíveis práticas que valorizem a Educação.


Traço a seguir uma linha que pode diminuir as faltas e a evasão de jovens e adultos desde que bem observadas e de forma criteriosa, levadas ao senso comum.
O uso de linguagens variadas é extremamente importante que no dia a dia dos estudos sejam incorporadas atividades relacionadas à arte e à cultura. Esse valor traz um resultado positivo aos estudantes mais velhos, principalmente, têm mais proximidade com a cultura popular. Portanto, quando o professor utiliza de linguagens alternativas, como a música, o cordel e o teatro, facilitam o aprendizado. Promover uma competição saudável na escola ao estimular a produção de textos (prosa e poesia) por meio de rodas e saraus literários entre as turmas da EJA. Incentivar a produção musical com temáticas de diferentes culturas.
Reorganização o tempo ajustando um cronograma de aulas elaborado e ajustado à disponibilidade dos alunos nos três turnos (manhã tarde e noite) organizando os dias e horários das disciplinas segundo as necessidades da turma, o que garantirá o atendimento contínuo e a reposição de aulas.
A reformulação em seu sistema de ensino para as turmas de EJA, a ideia de oferecer as disciplinas semestrais, com aulas semipresenciais onde o aluno tem a responsabilidade de para com os seus estudos e ao mesmo tempo ter a quem recorrer para que sane suas dúvidas e ao mesmo tempo o deixe preparado para realizar suas avaliações, pesquisas, lições de casa e outras atividades complementares a carga horária de estudo. São, portanto, menos horas presenciais e mais trabalhos à distância. Tudo é corrigido pelo professor, que leva para casa as tarefas e as devolve com comentários. Esta organização contribui para que muitos adultos que tinham desistido de estudar voltem para a escola. Sem contar que as oportunidades de recuperar cada avaliação não bem sucedida seriam no próprio semestre letivo com adequação de horário de atendimento do professor e dando continuidade às etapas dos estudos.
Sempre lembramos que as turmas do Ciclo 1 e alfabetização são presenciais com professores habilitados para exercer a capacidade de ensinar o aluno a ler e escrever.
O currículo precisa ser construído dando mais significado à aprendizagem. Um currículo contextualizado. Buscar os conhecimentos vivenciados pelos alunos. Induzir através de rodas de conversas e assim ir conhecendo cada um, depois associar esses temas do cotidiano às disciplinas faz com que os alunos entendam o assunto com mais facilidade. Imagina nossa cidade que já tem um sistema de Ensino Próprio e assim ajustar no currículo quando percebemos que indústrias de diferentes setores se instalaram no local. Como a própria LDB garante que o currículo é adaptado também à região se faz necessário criar eixos temáticos para tratar os diversos assuntos surgidos com o desenvolvimento da região. Entre eles, a relação entre a urbanização e a vida no campo, a socialização como uma forma de integração da comunidade a seu entorno e o uso da tecnologia no cotidiano. Visitas ao caixa eletrônico (muitos não sabem usar o caixa de um banco e ficando vulneráveis a espera de ajuda), uso do próprio celular para que aprendam a enviar uma mensagem de texto, visitas a espaços que oferecem culturas e comércios para que exerçam sua capacidade de gerenciar seu próprio dinheiro. Se a escolas oferece Educação de Jovens e Adultos articuladas com empresas e assim manter contato permanente com empresários do setor público e privado para estabelecer parcerias com a finalidade de facilitar o acesso dos alunos à escola, a importância dos estudos, criando folhetos informativos e usar o lado emocional de que todos têm direito à educação. Tenho certeza que melhora a autoestima principalmente se ainda mais com a flexibilizando o horário de trabalho. Outra situação é a oferta precária de transporte principalmente no período noturno faz com que o cansaço, o estresse do dia a dia e ainda a longa espera para o retorno a sua residência faz com que muitos alunos desistam. Insistir no corporativismo entre empresas de transporte público e escolas. Promover reuniões com dirigentes de empresas privadas e públicas, nas quais os alunos trabalham para conscientizá-los da importância de incentivar os funcionários a frequentar a sala de aula. Promover acordos entre os poderes para que junto das instalações dessas empresas venham à possibilidade de direcionar um percentual de vagas aos alunos que estão estimulados a estudar. Mesmo que sejam vagas de estágios, mas que no futuro quem sabe possam se tornar funcionários do quadro efetivo.
Criar uma infra-estrutura para receber os filhos dos alunos, traz excelentes resultados para que o retorno aos estudos seja efetivo, pois muitos alunos não têm com quem deixar os filhos, levá-los à escola enquanto estudam pode ser determinante para que não faltem às aulas. Inclusive a própria escola pode oferecer um reforço escolar ou uma brinquedoteca com acompanhamento específico. As mães se sentem mais confiantes quando os filhos estão próximos. Seja qual for o horário de estudo. Como sugerido anteriormente o horário deve estar adaptado ao aluno. Se não sabe ler e escrever é hora de aproveitar o tempo. Mesmo no período noturno, com brinquedoteca e professor educador disponível para as crianças que acompanham os pais, a frequência seria muito satisfatória e com certeza extremamente importante para o sucesso. Isto é fantástico.
Ter um atendimento individualizado oferecendo um plano de estudos personalizado de acordo as possibilidades dos alunos. Planejar aulas de forma individualizada permite que cada adulto estude de acordo com seu ritmo e com o tempo disponível. Quando o aluno tem preparado o que é realmente necessário à sua aprendizagem se ganha tempo e avanço de estudos. Uma porque ele se prepara para algo preciso. Assim ele organiza seu tempo, cria sua rotina, estabelece prioridades de dúvidas dando ritmo aos seus estudos e a didática do professor.
Acolhimento e alimentação trazem bons resultados, pois muitos estudantes que vão diretamente do trabalho para a escola recebendo um reforço alimentar não ficam com fome e podem se concentrar mais nas aulas. Isto faz com que os alunos tenham mais disposição para se concentrar nos estudos e não chegam atrasados. Além disso, há o cuidado para que se sintam acolhidos e vejam a instituição como uma parceira - é comum os estudantes desistirem de estudar por problemas de saúde, com a família ou de desemprego.

Público Alvo

Jovens e Adultos que estão fora da escola